Top 10: Animais da Amazônia

O Brasil é uma terra abençoada por diversos motivos, principalmente por abrigar a maior floresta tropical do mundo. Não é por acaso que a Amazônia bate um recorde atrás do outro: são 7 milhões de km², sendo 5 milhões e meio cobertos pela floresta tropical com a maior biodiversidade do mundo que abriga espécies raras ou em extinção, além de ser um dos destinos que mais representam o Brasil pelo mundo afora.

Em 2008, a Floresta Amazônica foi pré-selecionada como candidata a uma das Novas 7 Maravilhas da Natureza, mas só em fevereiro de 2009 ela foi classificada em 1º lugar no Grupo que representa as florestas e reservas naturais.

Quem vem para a Amazônia, imediatamente depara-se com toda a vida existente nesta imensa área verde. São pássaros exóticos, mamíferos das mais variadas espécies, além de plantas que existem apenas nesta região. Conheça alguns animais que você irá encontrar pelo caminho quando vier hospedar-se em um dos hotéis da Amazônia.

Imagem: Cláudio Dias Timm

Imagem: Cláudio Dias Timm

Onça-pintada

Falar em mata atlântica sem citar a onça-pintada é o mesmo que ir à praia e não ver o mar. Na Amazônia elas existem em menor quantidade que no Pantanal, devido à dificuldade de encontrar alimento por ali. Suas presas mais comuns são os animais jovens, idosos e doentes. As onças gostam de caçadas fáceis. Esse seu hábito acaba por contribuir para o equilíbrio da floresta. Ainda que benéficos para o equilíbrio da mata, esses felinos estão na lista de animais ameaçados de extinção, pois alguns fazendeiros costumam os abater para proteger seus rebanhos. Outro fator de risco para as onças é o desmatamento.

Arara-canindé

Se você nunca foi capaz de acreditar em amor perfeito, fique calmo, isso será resolvido agora. As araras-canindés – também conhecidas como araracanga, arara-vermelha, maracanã-guaçu ou maracanã-do-buriti – são daqueles animais verdadeiramente monogâmicos. Estas aves quando encontram seu par ficam unidas até que a morte as separe e, quando tal fatalidade ocorre, o parceiro solitário pode até morrer de depressão. Esta arara é o símbolo da união perfeita!

Imagem: Tambako The Jaguar

Mico-Leão-Dourado

Um dos primatas mais raros do planeta, este fantástico animal é uma espécie que se alimenta de frutas, insetos, pequenos invertebrados e, eventualmente, de goma de árvores. Listado como um dos animais brasileiros que estão ameaçados de extinção, eles quase desapareceram devido à recorrente captura para zoológicos ou para criação como bicho de estimação.

Boto

Parte do folclore brasileiro, os botos são conhecidos por seu comportamento brincalhão, semelhante ao dos golfinhos. Eles se alimentam de peixes, lulas e crustáceos que conseguem engolir sem mastigar. Estes animais são ameaçados pela cultura local: os olhos dos botos são muito procurados para servir como amuleto de amor, pois as pessoas acreditam que quem possui um olho deles arranja namorado mais rápido.

Sapos

Os sapos que compõem a família dos dendrobatídeos, os sapos venenosos, são uma atração à parte na Amazônia, já que suas cores vibrantes chama atenção. Parece que a natureza tem por regra fazer o perigo atraente. Existem tribos que utilizam o veneno desses anfíbios na ponta de suas flechas para caçar.

Garça-real

A elegante garça-real possui um bico azul e delicadas penas que saem da base da sua nuca. Ela pode ser encontrada nas margens dos rios da Amazônia. Ela costuma alimentar-se de peixes, mas às vezes também consume alguns insetos que ficam perambulando próximos à água.

Saí-andorinha

Se pudéssemos elencar quais animais parecem ter sido pintados, o saí-andorinha estaria no topo dessa lista. Algumas aves dessa família de saíras possuem cores tão vibrantes que logo imaginamos ser fruto de retoque artístico. Ele também pode ser encontrado nas margens dos rios.

Imagem: Cláudio Dias Timm

Jacaretinga

Quando pequenos estes jacarés alimentam-se de insetos, sapos e outros animais menores, mas na vida adulta costumam comer peixe. Para caçar seu alimento, eles agem de forma bastante preguiçosa: eles abrem a boca contra a correnteza e esperam que algum peixe simplesmente caia na armadilha.

Harpia

Com aproximadamente dois metros de envergadura de asas abertas e com garras do mesmo tamanho das de um urso-pardo, a harpia, também conhecida como gavião-real, é considerada a ave de rapina mais poderosa do mundo. Mesmo com esse tamanho todo, ela voa de maneira tranquila e habilidosa entre as árvores da floresta. Quando ela fecha suas garras, é capaz de exercer uma força de até 50 kg, esmagando os ossos de preguiças, macacos e aves de médio porte.

Anta

O maior mamífero da América do Sul pode ser encontrado em todo país, embora esteja quase extinta na Caatinga. A anta é uma excelente nadadora e mergulha rapidamente quando se sente ameaçada. Na Amazônia, ela visita saleiros naturais para conseguir os alimentos que não obtém em sua dieta de folhas e frutos.

Cobras

A Amazônia não teria sua fama se não fossem por essas duas espécies: a surucucu e a sucuri. A primeira é a cobra mais temida da floresta por ser a maior víbora das Américas. Ela pode chegar a medir 4,5 m de comprimento! Sua carapaça marrom amarelado tem desenhos negros em formato de diamantes. Esse desenho é uma ótima camuflagem, já que ela fica no chão da floresta onde há folhas secas iluminadas por pequenos fachos de luz douradas. Por sua vez, a sucuri é a cobra mais pesada da Terra, chegando a 250 kg. Na Amazônia, ela costuma ficar próxima a água, só esperando os animais se debruçarem para matar a sede. Devido ao seu tamanho, ela consegue alimentar-se de presas enormes, como a anta.

 

Pin It

RELATED POST

INSTAGRAM
Visite nosso Instagram