FacebookInstagramGoogle+
Categorias
Patagônia argentina: lagos, planícies, fauna marinha e geleiras

Patagônia argentina: lagos, planícies, fauna marinha e geleiras

Postado em Destaques, Destinos de Viagens

Um dos cartões-postais da Patagônia argentina, o belíssimo Caminho dos 7 Lagos merece ser visitado com calma, principalmente no verão. Nessa época, além das temperaturas amenas, a neve praticamente sai de cena e dá espaço a montanhas verdejantes, lagos de águas claras e dias de céu muito azul. Uma boa ideia é iniciar o roteiro por Bariloche, que recebe voos diários de Buenos Aires, e entrar no clima a bordo de um dos barcos que transitam pelo Lago Nahuel Huapi, emoldurado por bosques e pela Cordilheira dos Andes.

Aproveite o passeio para conhecer a Ilha Victoria, conhecida por suas florestas de coníferas e com vista privilegiada para o lago. Isso é apenas uma amostra do que vem pela frente. Prosseguindo na direção norte, está Villa La Angostura. Antes de engatar a primeira, vale a pena parar para almoçar no El Boliche Viejo, que serve comidas patagônicas como carneiro grelhado e carnes saborosas.

Bariloche

Conta-se que o estabelecimento não mudou quase nada desde o dia em que Butch Cassidy e Sundance Kid, famosos ladrões de comboios que originaram um filme homônimo, passaram por lá para comer, no final do século 19. Hora de prosseguir para aproveitar o melhor do dia. O trajeto possui joias de rara beleza, como os lagos Correntoso, Espelho e Traful, com suas águas cristalinas ora azuladas, ora esverdeadas. Sem falar nos bosques de ciprestes, que ganham tons alaranjados no outono, montanhas com picos nevados e cenários de tirar o fôlego.

Um convite e tanto para quem gosta de pedalar, fazer trekking ou encarar momentos de aventura em um rafting por um dos rios das redondezas. Ao chegar lá, não deixe de conhecer o Parque Nacional Los Arrayanes, que guarda árvores centenárias com aproximadamente 15 metros de altura e troncos muito grossos. Diz-se que Walt Disney inspirou-se no local para recriar o bosque do desenho animado Bambi, de 1942. Ainda mais ao sul, a cerca de 100 quilômetros de Villa La Angostura, está San Martin de los Andes, vilarejo com casinhas de madeira entalhada, ruas bem-cuidadas e bosques de coníferas, às margens do Lago Lacar.

Melhor época: entre outubro e abril, a temperatura é muito agradável e fica em torno de 15 a 22 °C, o que torna esse período ideal para conhecer os lagos da região e aproveitar a prática de atividades outdoor. De maio a setembro, melhores meses para quem gosta de esquiar, os termômetros em Bariloche oscilam entre 2 e 5 °C.

Puerto Pirámides

Península Valdés

Declarada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1999, na categoria Paisagem Natural, a Península Valdés, situada na costa leste da Argentina, é um dos mais belos santuários do planeta. Sua superfície de aproximadamente 4 mil metros quadrados é uma importante área de reprodução de animais marinhos, cuja estrela principal é a baleia-franca, conhecida por seu corpo totalmente negro com uma mancha branca na barriga.

Entre os meses de junho a dezembro, o belo mamífero faz a alegria de turistas, que partem em barcos de passeio da cidadezinha de Puerto Pirámides. Ali também é possível avistar uma grande concentração de pássaros marinhos e terrestres. Outro ponto de observação privilegiado é Punta Norte, no Golfo San Matias, que abriga uma importante colônia de leões e elefantes-marinhos. No outono, os animais ganham a companhia das orcas, golfinhos gigantes capazes de atingir até 9 metros de comprimento.

Punta Tumbo, à beira do Atlântico, abriga entre os meses de setembro e abril a maior colônia de pinguins-de-magalhães do mundo. De frente para o mar, mais de meio milhão de espécimes protegem os ninhos dos predadores e tingem a paisagem de preto e branco. Soma-se à paisagem deslumbrante, a ser desbravada a pé, de barco, de carro ou até de bicicleta, a culinária saborosa conhecida pelo frescor de seus peixes e frutos do mar, originários de Puerto Madryn, e pelo tradicional cordeiro patagônico assado sem pressa.

Melhor época: todos os anos muitos animais escolhem a região da Península Valdés para se reproduzir, como você pode ver abaixo:

Baleias-francas: de junho a dezembro

Golfinhos: de dezembro a junho

Lobos-marinhos: o ano todo

Elefantes-marinhos: o ano todo

Pinguins: de setembro a abril

El Calafate

 

Glaciares: El Calafate/El Chaltén

A porta de entrada para conhecer os glaciares da Argentina é El Calafate, pequena cidade pertencente à província de Santa Cruz, próxima à fronteira com o Chile. É de lá que, durante o fim da primavera e o começo do outono, partem em barcos de borracha levas de turistas do mundo todo para conhecer o Glaciar Perito Moreno, uma das maiores atrações do Parque Nacional Los Glaciares, considerado Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco em 1981.

Com 5 quilômetros de extensão e pontos que chegam a 60 metros de altura, oferece um espetáculo de muita beleza (e barulhento, diga-se) quando suas placas se soltam e caem sobre as águas. Seu nome foi dado em homenagem a Francisco Pascácio Moreno (1851-1919), um dos primeiros exploradores da Patagônia. Em alguns trechos, é possível caminhar por trilhas que dão acesso a partes do glaciar onde, com a ajuda de sapatos especiais, pode-se fazer trekking por sua superfície.

Além de Perito Moreno, os glaciares Upsala, Spegazzini e Onelli também se destacam na imensidão branco-azulada característica do lugar. Vale lembrar que parte do parque pode ser explorada por meio de sete passarelas de madeira que garantem belas fotos dos blocos de gelo, os quais só perdem em tamanho para os da Antártica. Outro ponto do parque que não pode ficar de fora é El Chaltén, um pouco mais ao norte de El Calafate.

Considerada a capital mundial do trekking por abrigar em suas cercanias o Fitz Roy, maciço com mais de 3 mil metros de altura que atrai alpinistas de todos os continentes. Um lugar tão especial quanto o parque merece ser visitado sem pressa para que o viajante possa viver integralmente essa experiência. E, com certeza, um bom jeito de fazer isso é se hospedar em hotéis que oferecem conforto e vistas deslumbrantes da paisagem, como o Eolo.

Integrante da coleção Relais&Châteaux, que reúne os hotéis mais charmosos do mundo, o estabelecimento está estrategicamente posicionado entre o Glaciar Perito Moreno e El Calafate. Dos seus aposentos, com grandes janelas, é possível ter vista privilegiada da natureza e viver o espírito da Patagônia em grande estilo.

Melhor época: é a que se estende do fim da primavera ao começo do outono. Como o inverno é rigoroso, os hotéis ficam fechados nessa época.

Terra do Fogo

Terra do Fogo: no fim do mundo

Ao contrário do que muita gente pensa, a Terra do Fogo não pertence à Patagônia. Na realidade, trata-se de um conjunto de ilhas no extremo sul do continente, uma maior e outras menores. E chegar lá, independentemente da programação, já é muito bacana. Afinal, estamos falando de um local que habita o imaginário de viajantes do mundo inteiro há muitos séculos.

Para quem gosta de natureza em estado bruto, é um prato cheio. São geleiras, fiordes e paisagens brancas a perder de vista. O mesmo vale para aves como albatrozes, gaivotas, águias e falcões. Sem falar nos pinguins, que formam uma das maiores colônias do planeta. O melhor jeito de conhecer a região por esse ângulo é a bordo de cruzeiros, que oferecem roteiros de três a sete noites. Ou ainda sobre caiaques, que deslizam silenciosos pelo Rio Lapataia.

Já quem prefere a terra firme também encontra seu espaço. A apenas 11 quilômetros de Ushuaia fica o Parque Nacional da Terra do Fogo – o mais austral do continente, ocupa 6 quilômetros do Canal de Beagle e faz divisa com o Chile. Aqui, o visitante pode se deslumbrar com os trekkings por lagos e florestas que, no verão, enchem-se de cor graças ao florescimento de orquídeas, violetas, margaridas e sempre-vivas.

Melhor época: de setembro a abril. De maio a agosto, o frio rigoroso – associado a muita neve e fortes ventos – dificulta o acesso à região.

*Texto originalmente publicado na edição 56 da revista Host & Travel. Para ler matérias similares, torne-se assinante da revista sem custo algum.

Pin It

Responder o comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>