READING

O coração da África do Sul: Cidade do Cabo

O coração da África do Sul: Cidade do Cabo

Cidade do Cabo, capital administrativa da África do Sul, surpreende seus visitantes antes mesmo da aterrissagem. A vista do avião impressiona pela grandiosidade da Table Mountain, cadeia de montanhas com cerca de 1.800 metros de altura, cujo topo tem o formato de mesa, uma das sete maravilhas naturais do mundo atual. Mas não pense que Cape Town – nome de batismo dado pelos colonizadores holandeses – se resume apenas à estonteante paisagem que você verá do céu.

Cosmopolita, limpa e bem organizada, a cidade conserva a pluralidade cultural que tem suas origens na mescla entre os nativos africanos (xhosa, zulu e outras tribos africanas do norte) e povos que vieram da Indonésia, França, Holanda, Inglaterra e Alemanha. No principal centro comercial, City Bowl, pode-se ver mais claramente os traços da arquitetura holandesa, especialmente no Castle of Good Hope (Castelo da Boa Esperança), construído no século 17. Outro bairro interessante é o Bo-Kaap, reduto de muçulmanos, a primeira mesquita e casas coloridas. Nas ruas Muizemberg e Tambor Skloof, as marcas da colonização inglesa estão na arquitetura vitoriana.

Há várias opções para provar a gastronomia local, à base de peixes e carnes de caça e avestruz. Se você ama peixes e frutos do mar, vá ao restaurante The Codfather. Para comer e se entreter, experimente jantar no Gold Restaurant. Cada garçom vem de um lugar do continente e usa vestes típicas. O cardápio também é um passeio pelos sabores da África de todos os cantos. Fora a comida, você vai adorar os shows de música e dança, além de aprender a batucar ritmos africanos.

Conheça nossos roteiros na África do Sul.

table-mountain

Table Mountain

Cartão-postal da Cidade do Cabo, a Table Mountain merece ser visitada com calma. Do alto dessa montanha, você poderá apreciar a paisagem da cidade. Se puder, espere pelo belíssimo pôr do sol e experimente a gostosa sensação que a brisa e seu silêncio oferecem. Para subir ao pico com 1.800 metros de altura, você pode usar o teleférico ou escolher uma das trilhas. Na volta, faça uma pausa na Greenmarket Square, no centro de Cape Town, para ver (e comprar) artesanato local, como máscaras, bijuterias, tecidos e os típicos ovos de avestruz pintados à mão.

Outro lugar que vale ir não apenas para comprar presentes como também para desfrutar da beleza da paisagem, em um passeio de barco ou simplesmente tomando um drinque, é o Victoria & Alfred Waterfront, construído em 1860. A área, revitalizada, concentra hotéis, restaurantes, lojas de grifes, bares e casas noturnas.

Mandela-robben

Robben Island Museum

É também no Victoria & Alfred Waterfront que você pode tomar o ferryboat para a Robben Island, prisão de alta segurança fechada em 2004 onde Nelson Mandela, ícone anti-apartheid, esteve preso por 18 anos – parte dos 27 anos em que ficou encarcerado. O edifício, proclamado como Patrimônio da Humanidade, é hoje um dos museus mais importantes para conhecer a história da África do Sul. A visita, guiada por ex-prisioneiros políticos que estiveram ali com Mandela, passa pelas antigas celas, cemitérios e hospitais, e é acompanhada de várias explicações sobre a queda do regime.

full_shutterstock_129992552

Cabo da Boa Esperança e Pinguins

A cerca de 160 quilômetros do centro da Cidade do Cabo, fica a Reserva Natural do Cabo da Boa Esperança, que foi dobrado pela primeira vez em 1488, pelo navegador português Bartolomeu Dias. Inicialmente, o local foi batizado de Cabo das Tormentas (pois foi avistado depois de vários dias de tempestade em alto-mar) e mais tarde renomeado como Cabo da Boa Esperança.

Um bom passeio é pegar o teleférico para chegar até o antigo farol, que merece uma pausa para apreciar a vista. A área, tombada pela Unesco, tem vegetação intacta e abriga animais como avestruzes, babuínos e zebras. Dica: no caminho de ida ou de volta do Cabo da Boa Esperança, reserve um tempinho para ver de perto a colônia de pinguins em Boulders Beach.

full_full_13_597458

Safáris Fotográficos

Na África do Sul há ótimos parques para safári. Mas, se você aprecia um toque mais selvagem ou está fazendo seu primeiro, o Kruger é a melhor opção. Ali fica o Sabi Sabi, sofisticado lodge com diferentes programações para visitar a reserva em um 4×4 com guardas florestais, os rangers, que, além de ter conhecimento sobre fauna e flora da área, são ótimos rastreadores.

Com a ajuda deles, fica fácil conseguir ver os big five (leão, leopardo, elefante, rinoceronte e búfalo), aves, hipopótamos, girafas, zebras, guepardos, hienas e outros bichos. O Pilanesberg Reserve, próximo a Sun City, é um complexo de hotéis e restaurantes. Você pode se hospedar no luxuoso Ivory Tree Lodge e fazer safáris tão bem guiados quanto os de Sabi Sabi. Seja qual for a escolha, vai se emocionar com os bichos, seja em um safári diurno ou noturno.

lesedi-african-lodge-cultural-village

Lesedi Lodge & Cultural Village

A caminho do Pilanesberg Reserve, você pode visitar Lesedi, mix de vila cultural e lodge. O mais interessante é passar parte do dia ali para apreciar e aprender um pouco sobre a cultura e os costumes de várias tribos africanas. A cada conjunto de casas, você vai observar os moradores, ver a forma como se vestem e receber explicações sobre seus costumes. Além de assistir a belos shows de dança e música.

full_shutterstock_129083087-11

Ah, os vinhos!

Famosa por seus vinhos, a África do Sul possui várias regiões que oferecem degustação. A cidade de Franschhoek, cujas propriedades estão instaladas em um vale pitoresco, a 1 hora de carro de Cape Town, possui vários restaurantes, muitos deles nas próprias vinícolas. Na Grand Provence, é possível provar vinhos brancos como Sauvignon Blanc, Sémillon e Chardonnay. Stellenbosch é a região do país onde há mais vinícolas. Uma delas, a Lanzerac Wine State, tem boas pedidas para os tintos Cabernet Sauvignon, Pinotage e Shiraz.

Como chegar

Há voos da South African Airways (SAA) do Brasil para Joanesburgo e, de lá, você embarca em um avião que chega em cerca de 2 horas à Cidade do Cabo.

Melhor época

O outono na África do Sul (meados de fevereiro a abril) é, de certo modo, o melhor momento do ano para uma visita. Chove muito pouco em todo o país: faz calor – sem exageros – e a temperatura vai caindo à medida que a estação avança. Na Cidade do Cabo, o outono é fantástico, com dias ensolarados e noites aprazíveis. Outra boa estação para ir ao país é no inverno (de maio a julho), quando os dias são secos, com sol e um pouco de vento. Nessa época é conveniente levar roupas quentes, pois as noites são frias.

*Texto originalmente publicado na edição 57 da revista Host & Travel. Para ler matérias similares, torne-se assinante da revista sem custo algum.

Pin It

RELATED POST

INSTAGRAM
Visite nosso Instagram