FacebookInstagramGoogle+
Categorias
Os vinhos e as paisagens de contos de fadas da Eslovênia

Os vinhos e as paisagens de contos de fadas da Eslovênia

Postado em Destaques, Destinos de Viagens

A cena do por do sol tingindo de dourado as folhas das incontáveis árvores das florestas da Eslovênia já é um incentivo e tanto para pedalar pelas trilhas deste belo país que lembra uma Europa em miniatura. Mas ainda há outras delícias que tornam ainda mais prazerosa a visita a esse destino pouco explorado pelos viajantes: os vinhos, que ocupam lugar de prestígio entre os melhores do mundo; os saborosos queijos e hospedagens sofisticadas e aconchegantes.

Tudo isso faz com que o pequeno país, com 20.273 km² – quase o equivalente ao estado de Sergipe (menor estado do Brasil), mereça ser desvendado ao ar livre, sem a menor pressa. Para ter ideia dos cenários que lhe esperam, basta lembrar que a Eslovênia é um país essencialmente verde (e interessado em promover o turismo ecológico), com 60% do seu território é coberto por florestas. Por isso, a bicicleta é o meio de transporte ideal para passear pelos cenários dessas trilhas, que nos remetem aos contos de fadas.

Cheese farm in Bled

CALMARIA NOS ALPES JULIANOS

O início da viagem é em Liubliana (Ljubljana), simpática capital da Eslovênia, de onde você irá partir para Bohinjska Bistrica, a maior aldeia na região dos Alpes Julianos. É de lá que vai começar a pedalar rumo ao Bohinj, o maior lago da Eslovênia (318 hectares) que faz parte do Parque Nacional de Triglav. Na viagem você ainda irá saborear os deliciosos queijos do produtor local e deliciar-se com um almoço leve, mas muito saboroso, com pratos típicos. Na volta, a subida pode cansar um pouco, mas a calmaria das florestas e o prazer de beber água mineral direto da nascente do rio Aljažev Dom são um incentivo e tanto. Principalmente porque de noite será recompensado com um jantar em um dos excelentes restaurantes do Lago Bled, regado aos melhores vinhos tintos da Eslovênia.

Depois, vai descansar em um dos aconchegantes quartos do Vila Bled, hotel butique, perfeito para restaurar as energias. O dia seguinte começa com uma volta pelo Lago Bled, com vista para os Alpes Julianos até Kranjska Gora, quando você terá a “difícil” tarefa de escolher entre fazer um tour histórico de van, com parada na Igreja do Prisioneiro Russo, uma curta caminhada ou uma pedalada pelo desfiladeiro de Vršič. Fique tranquilo, pois qualquer que seja sua escolha, você vai adorar. O almoço será em um charmoso restaurante escondidinho na aldeia das montanhas, de onde você vai descer até as margens do Rio Soča. E a noite é livre e você pode escolher um restaurante em Kobarid: aproveite para conhecer essa simpática cidade próxima à Itália antes de voltar para o Hisa Franko, hotel que é um charme, onde descansar antes dos próximos passeios.

Cycling towards Gredic Castle

UM POUCO DE HISTÓRIA

Fazer rafting no azul turquesa do Soča é a aventura do terceiro dia. As águas do rio, alimentadas pelas neves alpinas, alternam seções calmas, para descansar e baixar a adrenalina, com trechos mais emocionantes, que vão exigir um pouco mais de você. Mas esse é um esforço extra vale: este é o típico passeio que, certamente, lhe trará muitas recordações não só pela emoção do esporte, mas pela extrema beleza natural das margens do Soča. Em seguida, você fará uma visita ao Museu da Primeira Guerra Mundial de Kobarid e conhecer pouco da história da região, onde, em 1917, aconteceu a Batalha de Kobarid, uma ofensiva dos exércitos austro-alemães que derrotaram as tropas italianas.

Essa batalha e os arredores de Kobarid serviram de inspiração ao escritor americano Ernest Hemingway, que esteve lá durante a guerra, para escrever o romance Adeus às armas, clássico da literatura. Na volta, faça uma pausa para se refrescar na cachoeira escondidinha no caminho que retorna ao hotel Hiša Franco. Sim, a água é gelada, mas coragem: o banho ali é revigorante. E estará bem disposto para saborear o banquete extraordinário, em que só entram ingredientes locais e muito fresquinhos.

Brda 2

GREVA NA VINO!¹

Localizada entre Itália, a Áustria, a Hungria e a Croácia, a Eslovênia abriga cerca de 24 mil hectares de vinhedos. Essa é a ótima herança das tribos Celtas e Ilírias que, durante os séculos IV e III a. C., ocuparam a região levando para lá o vinho que hoje está entre os melhores do mundo. A bebida é tão importante para o país, que está presente até mesmo no hino nacional, intitulado Um brinde, cuja letra celebra a ligação dos eslovenos com a bebida: “Amigos! As vinhas nos frutificaram o doce vinho, que nos reaviva as veias e nos limpa o coração e os olhos e apaga todas as preocupações renovando a esperança no peito exausto!”

E é por isso que boa parte do quarto dia será dedicada à Goriška Brda (que fica a 120 quilômetros a oeste de Liubliana), com uma arborizada cordilheira, estradinhas sinuosas e caves onde são produzidos os ótimos vinhos do país. Entre eles, os tintos Merlot e Cabernet Sauvignon e os brancos Beli Pinit e Rebula. Na região, também conhecida como a Toscana eslovena, você vai dar um tempo nas pedaladas para um almoço piquenique regado aos vinhos locais. A degustação continua de noite, na elegante sala Champagne do Hotel Gredič, um castelo construído no século 16, e vai abrir seu apetite o jantar do restaurante do hotel, o Gredič Avenanti, premiado com uma estrela negra pelo rigoroso Guia Michelin (concedida aos restaurantes de hotel que possuem excelente cozinha).

Pela manhã você irá visitar os mais elogiados produtores de vinho de Goriška Brda, em que o destaque é a nativa Refosco, uva vermelha cultivada também na região Emilia-Romagna (na Itália) e na Croácia. E já que Goriška Brda está ali, encostada na Itália, você vai passar a fronteira e também degustar vinhos produzidos por lá. O jantar será servido no restaurante da família Klinec. A experiência na Eslovênia termina no outro dia. Mas deixar esse paraíso não vai ser fácil. Então, na volta, pelas estradas que vão levá-lo a Ljubljana, você vai se despedir lentamente, visitando Štanjel e Tomaj, cidades medievais localizadas na região de Karst, e fazendo uma degustação final de vinhos eslovenos.

(1) Expressão eslovena que, em livre tradução, significa: vamos ao vinho!

*Texto originalmente publicado na edição 57 da revista Host & Travel. Para ler matérias similares, torne-se assinante da revista sem custo algum.

Pin It

Responder o comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>