Eles ostentam a hashtag #souauroraeco

Na metade de julho demos início a uma série de postagens no Instagram com o tema “Por dentro da Auroraeco“. A cada semana publicamos duas fotos de profissionais que atuam junto à Auroraeco acompanhados de mini biografias e da hashtag #souauroraeco. A série foi um sucesso, angariando diversas curtidas a cada nova imagem. Esse resultado foi uma imensa alegria, afinal, signifcou o devido reconhecimento que nossos colaboradores merecem, não só dentro de “casa”, mas vindo de fora também. Foi uma honra poder prestigiar as pessoas que suam a camisa dia após dia para que o nome Auroraeco tenha cada vez mas destaque no mercado e se torne um simbolo sólido de serviço de qualidade.

Neste post, reunimos todas as fotos e bios, além de adicionar duas informações extras: os destinos favoritos de cada pessoa e os seus detinos dos sonhos para o futuro. Conheça um pouco melhor quem faz da Auroraeco uma das melhores operadoras de turismo do Brasil — vale a pena!

Guilherme Padilha

Guilherme  | O empreendedor

O que você faria se sua família estivesse espalhada pela América do Sul? Aposto que escolheria estar sempre viajando, de casa de tia em casa de tia. Pois bem, a ideia do Guilherme parecida, mas diferente. Ele achou melhor usar seus laços familiares como contatos e botar os outros para viajar. Levando em conta o conhecimento dos familiares estrangeiros, aos 18 anos ele passou a desenhar roteiros e operar viagens pelo Brasil e vizinhança. Ao seu lado, o amigo Roberto, com seus 20 anos. Assim nasceu a Auroraeco, 15 anos atrás. Hoje, não é a toa que os roteiros são cheios de pérolas locais e acessos exclusivos. A relação da empresa com seus destinos é quase familiar.

Destinos favoritos: Amazônia, Patagônia, Peru e Provence.
Ainda quero conhecer: Japão, Islândia e Egito.


Barbara Farga

Barbara | A veterana

Os 22 anos de idade e suas vontades fizeram a Barbara levantar voo, saindo de sua cidade natal, Buenos Aires, rumo ao nosso Brasil verde e amarelo. Bem, verde, amarelo e cinza, afinal ela veio viver em São Paulo. Barbi chegou à cidade no final de janeiro de 2008 e nem um mês e meio depois já “era Auroraeco”. Hoje, ela é a mais veterana das consultoras, o oráculo que tudo sabe. Identificá-la numa ligação é tão fácil quanto encontrá-la na rua, com suas roupas sempre coloridas. Barbi carrega sua pátria na língua, com seus “v” e “b” que soam como “f”. Seu sotaque deixa o dia no escritório mais divertido. Deixava. Se antes a juventude trouxe a Barbara à Auroraeco, agora, a maturidade lhe afasta da empresa. Barbi é irreversivelmente adulta – ela é mãe. A Maia estreou no dia 17 de maio e a partir desta data passamos a ter que lidar com a saudade.

Destinos favoritos: Bolívia, Peru, Guatemala e Salta, na Argentina.
Ainda quero conhecer: Indochina, Cuba e Patagônia.


Ana Ligia Braida

Ana | A amiga dos estrangeiros

A Ana é pessoa de ficar. Na vida pessoal e profissional, ela ata nós firmes. Ela vivencia suas escolhas em longo prazo. A Ana, por outro lado, é pessoa que vai – e sem medo de ir. Aos 15 anos se meteu sozinha em um avião e nunca parou de viajar. Passou um mês aqui, um ano ali e por onde passou fez amigos. Ana é encantadora de gringos. Se quiser, tem casa pra ficar no planeta todo, do Irã a Omã. Na sua vida, a Auroraeco veio na sequência da Irlanda. Calhou. O inglês era pré-requisito para a vaga que a Ana abocanhou. Mal sabiam seus futuros chefes que com a Ana eram eles que se orgulhariam de poder abocanhar o mundo.

Destinos favoritos; Irlanda, Espanha e Califórnia.
Ainda quero conhecer: Austrália e Nova Zelândia.


Bruna | A radical

“A culpa da Bruna ser assim é do pai” – já diria a mãe da menina. Ele sempre pedalou. No entanto, a verdade é que nesta história há pelo menos outros dois culpados: os irmãos. Cercada por seres movidos a adrenalina por todos os lados, Bruna não teve alternativa senão se render à aventura. Profissionalmente, entrou de cabeça no universo do ecoturismo aliado ao turismo de aventura aos 20 anos, quando se tornou instrutora de rapel. Deste ponto em diante foi só descida… e subida… e escalada… e pedalada… e corrida… e sadio perigo. Em 2010, encarou o Salto Angel, na Venezuela – a maior cachoeira do mundo. Por ali fez rapel e chegou a dormir numa barraca suspensa no meio do caminho do paredão, entre o topo e o chão. Ela foi a terceira brasileira a realizar o feito e a décima mulher no mundo. Em 2011, foi de Londres à Holanda de bicicleta; em 2012, perambulou pela Ásia; em 2013, foi de Vancouver, no Canadá, até as Montanhas Rochosas de motorhome; e em 2015, partiu da Rússia num barco e pipocou pela Finlândia, Estônia e Suécia. Tudo isso, antes de atuar como guia da Auroraeco. Agora ela embarca numa viagem onde a aventura é se voltar pra dentro: o Detox & Yoga.

Destinos favoritos: Venezuela, Costa Rica e Ásia em geral.
Ainda quero conhecer: África (Namíbia e Botsuana) e Nova Zelândia.


Gustavo | O ciclista argentino

O primeiro contato do Gustavo com a Região dos Lagos foi aos 16 anos e deste então ele se manteve fiel ao local. Hoje, décadas depois, as paisagens, a atmosfera dos lagos, os bosques e a Cordilheira dos Andes ainda o fascinam. Essa é a principal característica que faz dele um excelente guia. Também contam muitos pontos a sua paixão pelas bicicletas e seu conhecimento – na palma da mão – da manha urbana da cidade e de todos os seus endereços mais ricos em gastronomia, aventura e cultura. Com o Gustavo ao lado fica impossível se perder ou perder algo essencial na Região dos Lagos.

Destinos favoritos: Galápagos, Patagônia e Riviera Maya.
Ainda quero conhecer: Grécia, Turquia e Egito.


Rita | A mãe de todos

A Rita é uma novata cheia de bagagem. Há apenas quatro anos ela passou a atuar junto a uma empresa de turismo, a Auroraeco. Antes disso, foram nove anos trabalhando no banco e 20 em uma empresa de edição de revistas. Mas quem é do setor financeiro, é poliglota, capaz de falar todas as cifras e câmbios com desenvoltura – basta ser competente, e a Rita é. Elogios à sua disciplina e diligência são falas comuns entre seus superiores. Já entre os seus colegas, o papo é outro. Nessa roda, aparece mais o coração elástico da Rita e suas falas sem freios. Com ela, toda expressão é na base dos extremos: não basta amar os animais, é preciso abrigar 2 cães, 2 gatos, 1 papagaio e 1 tartaruga; não basta ler, é preciso se perder entre as palavras dos romances; e mais importante de tudo: não basta ser mãe das suas duas meninas, é preciso jogar para dentro do peito em plena adoção todos os colegas com menos de 35 anos.

Destinos favoritos: Cordilheira dos Andes e Santiago.
Ainda quero conhecer: Fernando de Noronha , Chapada Diamantina, Chapada dos Veadeiros e Nova York.


Fernanda | A ecoturismóloga

Ninguém nunca perguntou qual a cor favorita da Fernanda. Não foi preciso. A garota tem a vida verde. Desde que visitou a Chapada dos Veadeiros pela primeira vez, em 2001, a clorofila passou a fazer parte dos seus componentes celulares – ou quase isso. No ano seguinte, aos 18, decidiu abraçar o ecoturismo como missão. À Chapada dos Veadeiros, até hoje, ela voltou mais de 40 vezes. Sim, o número está correto. Por isso, se você algum dia quiser visitar o lugar, peça pela Fernanda, a especialista. Também será necessário chamá-la se você tiver muitos amigos viajantes. A Fezinha é a Coordenadora de Grupos da Auroraeco. Ela é a grande responsável pelo desenho de roteiros inesquecíveis como os do Navegar é Preciso e do Detox & Yoga. Talvez a manha na área perambule pelo sangue, já que sua mãe também é do ramo. Para comprovar essa tese, taí o filho da Fernanda, que participa e adora as viagens de cunho eco desde os seus 8 meses de idade. Filho de planta, plantinha é.

Destinos favoritos: Chapada dos Veadeiros, Chapada Diamantina, Nepal e Butão.
Ainda quero conhecer: Indochina e Monte Roraima.


Donatella | A garota da Mooca

Nada mais apropriado que ter alguém com fortes indícios de ancestralidade europeia cuidando das viagens de bicicleta que desbravam o velho continente. Como seu nome é incapaz de esconder, Dona tem um pé na Itália – e o outro na Mooca. Seu bom humor marca sua presença num ambiente tanto quanto o sotaque bairrista. Por outro lado, nas ligações internacionais é outro sotaque que surge: o britânico. Esse ela pegou no ano que viveu em Michigan, no intercâmbio. “Tem muita gente do Reino Unido lá”, explica. Mas mais que definir seus fonemas, essa viagem desenhou o futuro da Dona, que entendeu que viajar é a melhor parte da vida e por isso cursou turismo. Hoje, ela está pedalando uma magrela em território francês, a trabalho, mergulhada na tarefa de sentir na pele o que vende pelo telefone – as viagens DuVine.

Destinos favoritos: Itália, França e Espanha.
Ainda quero conhecer: Destinos e roteiros DuVine. Todos.


Dafne | A intensa

A razão de a Dafne ser a Dafne tem nome: (Don) Juan Danilo. A caçula dos Arenas levou a sério a missão de internalizar as lições ministradas dia após dia pelo pai-ídolo. Resultado: uma pessoa que nega a possibilidade de ser “meio feliz”, optando rir e fazer rir por inteiro, o tempo todo – intensa. Difícil ver Dafne de dentes velados e desviar do raio de abrangência da sua risada constante. Ainda assim, ela acha que há mais alegria para reclamar para si. Toda quinta-feira leva-se a um coaching pessoal para se tornar uma Dafne melhor. Sorte dos que estão a sua volta. No trabalho, ela atua como um trio elétrico: propicia a agitação da galera e a música, deixando o celular pilhado no Spotify. Dafne sabe todas as letras e canta sem pudor – ali dentro tem uma artista em potencial. Enquanto essa vocação não vem à tona, ela segue realizando os sonhos dos viajantes. “Adoro fazer gente feliz!”, confessa a tara secreta nem tão secreta assim.

Destinos favoritos: Chile, Canadá e Uruguai.
Ainda quero conhecer: Peru, Chapada dos Veadeiros e Chapada Diamantina.


Roberto | O experiente

As aparências enganam. Por baixo de seu visual aprumado, Roberto é cheio de surpresas. Para começo de conversa, ele é um grande fã do Rush, uma banda canadense de rock progressivo. Na verdade, ele é um amante de música. Na faculdade, tocou em uma banda cujo repertório englobava hits do The Police, do The Smiths e do U2. Outra grande surpresa é o fato de ele conhecer o Carl Sagan pessoalmente. Enquanto gozava dos 20 anos, o Roberto viveu nos Estados Unidos. Nessa época, atuou junto à ONG Council for a Livable World, lutando pelo desarmamento nuclear do país. Foi então que conheceu Sagan e outras figuras de renomadas. Roberto é discreto, mas carrega na memória uma vida bem vivida. Ele coleciona sucessos profissionais e viagens dignas de nota. Por isso, deu tão certo na Auroraeco.

Destinos favoritos: Egito, Galápagos e Boston.
Ainda quero conhecer: Patagônia, China e Japão.


Rony | Baiano por opção

O Rony sempre gostou de viajar. Em uma de suas viagens conheceu a Chapada Diamantina e imediatamente mudou-me para lá. Em 1984, a pedido de amigos de Belo Horizonte organizou um passeio de sete dias pelo Parque Nacional da Chapada Diamantina. A experiência foi tão gratificante que não teve alternativa, senão se profissionalizar. Rony é anfitrião da Auroraeco desde 2007 e jura que encanta os visitantes da Chapada tanto quanto o fez por seus amigos. Alguns de seus truques são: piqueniques ao pôr-do-sol na base do Morro do Camelo, canoagem pelo Marimbus e roteiros de bicicleta entre o Vale do Capão e a cidade de Lençóis. Cuidadoso, ele dá um alerta aos viajantes logo no primeiro dia de viagem: “Existe um perigo grande aqui na Chapada: o de você não querer mais voltar para sua casa”.


Mariana | A multiuso

A Mariana é intensa. Ela tem interesses aos montes, ao invés de um foco exclusivo. Essa pluralidade marca nela até aos cabelos, que não param num tom ou corte. A Mari ama as palavras, ama seus cachorros, música e fotografia. Seu sonho juvenil era ser cantora, mas mais velha descobriu-se jornalista. Fã tanto das exatas como das ciências humanas, formou-se primeiro em arquitetura, mas não se identificou com a rotina da área. Depois da segunda universidade, colecionou empregos escrevendo, editando textos e fazendo marketing. Em 2012, fez uma pausa e curtiu um mês sabático viajando pela Europa. Quis ficar por lá, mas voltou. Trabalhou na Casa Vogue e depois se aventurou na terra dos “freelas” – assim a conhecemos. Graças ao ótimo trabalho avulso, passou a integrar o nosso elenco de colaboradores fixos. Hoje, ela organiza a nossa prateleira de produtos, as mídias sociais, o blog e as newsletters. Seus textos são a voz da Auroraeco.

Destinos favoritos: Londres, Paris e Montreal.
Ainda quero conhecer: Os países nórdicos, Grécia, Itália, Escócia e Hungria.


DuVine | A empresa irmã

Como se tornar o melhor em dada área? Foco. É preciso dedicar-se com exclusividade ao tema adorado. A receita é simples, mas poucos a seguem à risca e assim, muitos deixam o bolo desandar. Não a DuVine, empresa que manteve-se fiel ao seu objetivo desde a fundação, em 1996 – as viagens sustentadas sobre quatro fortes pilares: pedalar, comer, beber e dormir. Especialista, a DuVine é líder no segmento de viagens ciclísticas pela Europa, América do Norte, África e Oriente Médio. A DuVine é para os ciclistas o que Freud foi para a psicologia, o que Ray Charles foi para o blues e o que Einstein foi para a ciência. OK, talvez um pouco menos que isso, mas o fato é que os roteiros da DuVine beiram a genialidade. Eles são enriquecidos com milhares de segredos locais que guias premiados revelam aos viajantes dia após dia. Poucas coisas na vida são tão garantidas quanto as viagens DuVine, por isso fazemos questão de ser seu representante exclusivo no Brasil. DuVine tem tudo a ver com a Auroraeco.


Miguel | O artista

Hoje, Miguel está com 22 anos, mas somente quem lhe bate o olho sem conhecimento de causa é capaz de confundi-lo com um jovem. A verdade é que em seus nem tantos anos, Miguel já viveu mais vidas que um gato. Ele foi o colega de sala que todos amam e odeiam, por inveja: o segundo melhor aluno do grupo e o número um arteiro e parodista. Cedo, a mudança veio. A caneta mudou a cabeça. Aos 13 anos começou a ouvir os sopros de Calíope nos ouvidos e desde então, tudo que lhe passa pela cabeça ou pelo peito, acaba cravado no papel. O arruaceiro virou poeta. Depois disso, Miguel encontrou em si a música, com dedos ávidos em dedilhar as cordas dos violões. Descobriu-se também artesão, blogueiro, publicitário e tantas outras coisas. Na contra mão, em 2011 veio o dia de ser descoberto. Via indicação, Miguel chegou à Auroraeco. Guilherme lhe deu o emprego e em retorno recebeu um marca páginas artesanal de folha de madeira feito pelo seu novo estagiário. Na verdade, ganhou mais que isso – ganhou um faz tudo capaz, disposto e confiável. Ter o Miguel na folha de pagamento é para poucos e é um privilégio.

Destinos favoritos: Fortaleza, Campos do Jordão e São Roque.
Ainda quero conhecer: Irlanda, Amsterdam, África e Londres.


Connie | A professora

Por si só o Peru é inebriante, mas a viagem a este destino pode ser ainda melhor. Como? Imagine conhecer suas paisagens e sua cultura tendo como guia uma professora de história da arte. É um baita privilégio. Esse é o método Auroraeco: com a ajuda da Connie os mais sublimes mistérios da região são revelados. Seu olhar diferenciado garante aos viajantes uma experiência para lá de particular. Sorte nossa, ter encontrado alguém tão especial cuja maior motivação é levar o conhecimento aos outros. Sua alegria é mostrar tudo, sem guardar para si nenhum segredo local – a herança cultural, a arte popular e pré-hispânica, a culinária andina, os templos, as ruínas, os museus, os cafés de Cusco e mais. A Connie é uma verdadeira “people person” e você não terá alternativa, senão se apaixonar por ela.


Marina | A eloquente

Se você já fez uma boa aula de cursinho, sabe como é a Marina – uma pessoa capaz de causar encanto com seu discurso. Extrovertida e curiosa por natureza, sem muito esforço ela captura a atenção dos ouvintes, ainda mais quando fala de assuntos que gosta. Para a sorte da Auroraeco, que há sete anos conta com essa influente profissional em sua equipe comercial, um dos temas de conversas favoritos da Marina é viajar. Conhecedora de diversos destinos, ela dá conselho e guia aqueles que lhe pedem ajuda com muita atenção e carinho. E se for necessário ela o faz em inglês, espanhol, francês ou italiano. Mas nem só de trabalho vive a Marina. Nas horas vagas, um de seus programas favoritos é ir ao cinema. Dos gêneros típicos, o único que não a atrai é o suspense – talvez porque esteja na contra mão de seu instinto latente, a curiosidade pelos detalhes.

Destinos favoritos: Peru, Provence e Uruguai.
Ainda quero conhecer: Bolívia, Camboja, Croácia e Índia.

 

Nos siga também no Facebook. #ficadica

Pin It

RELATED POST

INSTAGRAM
Visite nosso Instagram